Entenda qual a diferença entre restauração e obturação

A procura por procedimentos de restauração dental se tornou extremamente popular em todo o país. Independentemente do motivo por trás dos danos às dentições, revitalizar a aparência e o sorriso é um conceito popular entre os brasileiros. 

Segundo uma pesquisa realizada pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, em 2018, quase 90% dos brasileiros apresentavam problemas de cáries em decorrência da falta de higienização bucal adequada.

Afinal, além de prejudicar muito a estética do sorriso, as cáries são capazes de provocar dores persistentes – especialmente durante a alimentação –, sensibilidade e até a perda da estrutura dental.

Por isso, as intervenções odontológicas precisam ser realizadas o quanto antes.

Desta forma, restauração dentária ou obturação – que podem ser acessados por um plano odontologico para mei – são procedimentos para restabelecer a estrutura danificada, devolvendo a função mastigatória, harmonia estética e bem-estar geral dos pacientes.

No entanto, apesar de ser um tratamento tão comum, muitas pessoas ainda possuem dúvidas sobre a diferença entre restauração e obturação dental ou quando esse tipo de tratamento precisa ser realizado.

Assim, se você está interessado em saber quando recorrer a essa assistência, continue a leitura!

Qual é a diferença entre restauração e obturação?

Tanto a obturação quanto a restauração dental são tratamentos que precisam ser realizados quando os pacientes apresentam perda do esmalte dentário – tecido mais duro que reveste e protege o dente – em decorrência da cárie, desgastes naturais ou fraturas na região.

Esses procedimentos permitem a reconstituição da coroa dental, restituindo a funcionalidade e a anatomia do dente.

Devido essa importância, todos os tipos de plano dentario para mei ou as demais assistências odontológicas são obrigadas pela ANS a conceder esse tipo de tratamento aos pacientes.

Entretanto, justamente por terem finalidades tão parecidas, é bastante comum que as pessoas confundam esses dois procedimentos. A restauração dental é um reparo realizado na superfície do dente, na parte em que a estrutura fica acima da linha da gengiva.

Essas restaurações podem ser feitas a partir de materiais e técnicas distintas, como:

  • Restauração de amálgama;
  • Restauração de resina composta;
  • Restauração fotoativadas;
  • Restauração de ouro;
  • Restauração de porcelana, entre outras.

Em contrapartida, a obturação diz respeito a um processo de selagem da raiz do dente – canal radicular – que fica dentro do osso maxilar, ou seja, abaixo da linha da gengiva.

Aqui, o dentista removerá a polpa dentária contaminada, limpará todo o canal radicular e selará essa região com materiais específicos.

Cuidados que devem ser tomados após a realização desses procedimentos

A durabilidade de cada procedimento pode variar bastante da qualidade dos materiais utilizados, do nível de experiência do dentista e de alguns fatores externos que podem influenciar na resistência do procedimento.

Por isso, pesquisar sobre a durabilidade é tão importante quanto procurar saber como funciona plano odontologico empresarial.

Considera-se relevante como forma de acessar os especialistas mais capacitados, é compreender sobre os cuidados que devem ser tomados para fazer com que a sua restauração dure por 10 anos ou mais.

Entre os principais fatores a serem observados, temos:

  • Atenção com a higienização bucal

A higienização bucal é sempre indispensável para a manutenção de uma boa saúde bucal e para garantir a integridade dos tratamentos odontológicos. Com a restauração e obturação dental, não é diferente.

Assim, é preciso garantir a escovação três vezes por dia, com o auxílio de escovas com cerdas macias, uso regrado do fio dental e a realização de bochechos com enxaguante bucal.

  • Cuidado com a escolha dos materiais utilizados na limpeza oral

A escolha dos materiais de higienização também é igualmente importante para garantir a durabilidade dos procedimentos. Por isso, é comum que o plano empresarial odontologico viabilize consultas de instrução sobre a higienização e etc.

Para garantir a durabilidade da restauração e obturação certifique-se que ao utilizar o antisséptico bucal que esses produtos não sejam feitos à base de álcool. Pois, isso pode danificar a qualidade do procedimento e dos materiais utilizados.

  • Evite alimentos pigmentados ou muito ácidos

Principalmente os pacientes que optaram por utilizar porcelana ou resina – que são materiais mais parecidos com os dentes naturais – precisam se atentar com alimentos e bebidas altamente pigmentados ou muito ácidos.

Isso porque, além de provocar a erosão dos dentes e das substâncias de restauração, essas comidas são capazes de causar manchas e interferir na qualidade da intervenção realizada.

  • Não utilize os dentes para abrir embalagens

Maus hábitos como abrir embalagens com os dentes, roer unhas ou morder pontas de lápis ou canetas também são motivos para que a restauração precise ser refeita em até três anos.

Afinal, a força aplicada é capaz de remover a selagem, deixando a cavidade dental exposta às bactérias orais.

  • Realize consultas frequentes com o dentista

A utilização de um plano odontologico para microempreendedor individual – ou qualquer outro tipo de assistência odontológica – para viabilizar consultas recorrentes com o dentista, também é crucial para a manutenção da integridade desses tratamentos.

Pois, além de fazer a limpeza das arcadas dentárias, os dentistas podem realizar uma revisão da obturação e da selagem dos dentes, certificando a sua resistência e efetividade. 

Assim, recomenda-se que os pacientes visitem o dentista uma vez a cada seis meses.

Conteúdo desenvolvido pela equipe do Conviva Melhor, blog criado com o intuito de melhorar a saúde e o bem-estar por meio de conteúdos que reforçam a importância dos cuidados regulares.