Como foi a copa do mundo de 2006

A Alemanha organizou a Copa do Mundo de 2006, competição marcada por vários momentos históricos, como a final entre Itália e França ou a despedida de Zinedine Zidane como jogador profissional. Mas há muito mais coisas a destacar e que tornaram este um dos melhores da história, e é a isso que vamos nos dedicar neste artigo. Vamos ver como foi a Copa do Mundo de 2006. A primeira Copa do Mundo da Alemanha unificada

 

Confira agora, as melhores camisas de time:

Uma das razões pelas quais está foi uma Copa do Mundo diferente foi porque as duas Alemanhas a estavam organizando pela primeira vez. Em 1974 foi disputada na República Federal, mas em 2006 a Taça regressou a um país diferente, cuja reunificação tinha começado 2 décadas antes e que confirmava que a Alemanha era finalmente uma.

Goleo e Pille, as mascotes

Embora seu nome completo fosse Goleo VI para o ano de comemoração, a principal mascote da Copa do Mundo era comumente conhecida pelo nome de Goleo, um leão vestindo uma camisa com os números “06”. Ele sempre estava acompanhado por Pille, uma bola falante. Não foi sem polêmica porque alguns disseram que um leão não representava o país organizador, mas no final foi ele quem esteve com Pille durante todo o Mundial.

Estreia de novos países

A Copa do Mundo de 2006 também será lembrada pela estreia de novas seleções que nunca a disputaram, seja por não terem conseguido se classificar ou por serem países recém-criados como Sérvia e Montenegro, pela primeira e última vez em que competiram como um só. país. Outras seleções estreantes foram República Tcheca, Ucrânia, Angola, Costa do Marfim, Gana, Togo e Trinidad e Tobago.

Itália – França, tensão e amarga despedida de Zidane

A Olimpíada de Berlim foi palco da final da Copa do Mundo de 2006 na Alemanha. Começou com um pênalti a 6 minutos do início que Zidane mandou chutar e que acabou no fundo da rede com muito suspense.

A Itália empatou pouco mais de 10 minutos depois, com um escanteio que Materazzi finalizou com um cabeçeamento poderoso. O jogo estava perdendo fôlego, exceto por alguns estágios de Henry contra Buffon e um gol anulado por Toni por estar impedido. Os 90 minutos terminaram com o placar de 1 a 1.

A França começou na prorrogação com grande entusiasmo, salva pelo poste e por um Buffon que fez grandes intervenções. Embora tenha sido neste momento do jogo que ocorreu um dos episódios mais memoráveis ​​da Copa do Mundo. Aos 20 minutos da prorrogação, Zidane foi expulso por acertar Materazzi de cabeça. Depois de uma brilhante Copa do Mundo em que se destacou como o melhor jogador da competição, o francês se despediu do futebol da pior forma possível, passando de herói a vilão em um único segundo.

Com o capitão fora de campo, a França guardou a mobília até o final da prorrogação e foi para os pênaltis. Foi então que a Itália acordou completamente e marcou todos os gols, ao contrário dos franceses, com um Trezeguet que viu seu chute acertar na trave. Em vez disso, Grosso marcou o gol decisivo e a Itália venceu sua quarta Copa do Mundo depois de passar 24 anos sem alcançá-lo. Apesar de tudo, Zidane Ballon d’Or

Apesar disso, Zidane se aposentou do futebol, conquistando a Bola de Ouro graças ao fato de ter liderado seu time de forma brilhante e ser o melhor jogador do torneio. Se ele não tivesse feito aquela bobagem, teria se aposentado como um herói e, por não sermos expulsos, poderíamos estar até falando de outra Copa do Mundo. Embora a história da Copa do Mundo de 2006 na Alemanha seja essa, e é isso.